A África do Sul exige certificado de vacina contra febre amarela de todos os visitantes estrangeiros e cidadãos de mais de um ano de idade que viajem de uma área infectada ou que tenham estado em trânsito por uma área infectada. Isto obedece ao Regulamento Sanitário Internacional (RSI, 2005).

Assim, para garantir que está tudo certo na hora de viajar, os turistas precisam realizar dois procedimentos. Primeiro, tomar a vacina de febre amarela em um posto de saúde da rede pública ou em uma clínica privada, e, em seguida, emitir o certificado em postos oficiais da Anvisa ou em outros lugares habilitados para isso. Alguns locais que realizam a vacinação também são autorizados a emitir o certificado na hora, o que facilita o processo.

Caso os viajantes não apresentem um certificado válido de vacinação contra febre amarela no momento da chegada ou tenham sido vacinados menos de 10 dias antes da chegada, eles poderão:

  • ser impedidos de entrar; ou
  • estar sujeitos a um período de quarentena de até seis dias até que seu certificado seja validado; ou
  • entrar no país, caso tenham um atestado médico de isenção por questões de saúde, mas estarão obrigados a reportar qualquer sintoma de febre às autoridades sanitárias do país e serão colocados sob vigilância.

Um certificado válido de vacinação contra febre amarela deve ser:

  • aprovado pela Organização Mundial da Saúde (OMS)
  • emitido no mínimo 10 dias antes da viagem para a África do Sul nos centros autorizados para vacinações contra a febre amarela (a vacina proporciona proteção 10 dias depois de ser administrada)

Viajantes dos seguintes países ou que tenham estado em trânsito por eles são obrigados a apresentar um certificado de vacinação contra a febre amarela na chegada à África do Sul: Angola; Argentina; Benin; Bolívia; Brasil; Burquina Faso; Burundi; Camarão; República Central Africana; Chade; Colômbia; Congo; Costa do Marfim; República Democrática do Congo; Equador; Guiné Equatorial; Etiópia; Guiana Francesa; Gabão; Gâmbia; Gana; Guiné; Guiné-Bissau; Guiana; Quênia; Libéria; Mali; Mauritânia; Níger; Nigéria; Panamá; Paraguai; Peru; Ruanda; São Tome e Príncipe; Senegal; Serra Leão; Somália; Sudão; Suriname; Togo; Trinidad e Tobago; Uganda; República Unida da Tanzânia; Venezuela.

Artigos Relacionados