logoleft

Ardmore Ceramic Art Studio

Ardmore Ceramic Art Studio

Uma história de esperança em Drakensberg - Ardmore Ceramic Art Studio

Localizada em Champagne Valley nas cordilheiras de Drakensberg, o Ardmore Ceramic Art Studio surgiu como um empreendimento humilde, mas tornou-se uma grande história de sucesso. Criado por uma artista zimbabuana e uma jovem afetada pela poliomielite, o estúdio emprega atualmente mais de 50 pessoas.

 

O cenário das cordilheiras de Drakensberg cativou Fee Halsted-Berning. Esta pintora e ceramista nascida no Zimbábue decidiu que a sua mudança para Ardmore Farm em Champagne Valley de Drakensberg era o momento perfeito para levar a sério os seus interesses criativos. Logo, ela estava procurando uma parceira e perguntou a uma funcionária da fazenda, Janet Ntshalintshali, se alguém gostaria de aprender os fundamentos da arte em cerâmica.
A filha da Janet, Bonakele, havia contraído poliomielite quando criança e não queria mais trabalhar na colheita de tomate, pois era um trabalho muito pesado. Janet estava ansiosa em encontrar um trabalho menos pesado para a sua frágil filha e esta era a oportunidade que procurava. Portanto, em 1985, Bonnie começou a trabalhar com Fee.
Surgia uma parceria excepcional. Juntas, elas criaram Ardmore Ceramic Art Studio. A força do estúdio estava na diferença das criadoras. Fee contribuiu com o seu amplo conhecimento de formas de escultura de cerâmica e Bonnie acrescentou novas interpretações exuberantes e rítmicas de narrativas bíblicas e rituais tradicionais africanos.
O fato de Fee ter estudado pintura a ajudou, como artesã de cerâmica, a ir além do espectro das cores normalmente associadas a essa forma de arte. A Ardmore Ceramics logo se tornou conhecida por suas cores exuberantes, nunca vistas antes.
Em 1990, Fee e Bonnie receberam o famoso Prêmio Standard Bank Young Artist Award for Visual Art. Bonnie continuou a ganhar muitos outros prêmios de arte sul-africanos e ter o trabalho representado em muitas coleções de arte internacional e local, antes de morrer em 1999.
O legado de Bonnie ainda vive: atualmente, o Ardmore Ceramic Art Studio emprega 50 pessoas, a maioria mulheres, que residem na região da Cordilheira do Drakensberg, uma região que não tem muitas oportunidades de emprego formal. O Museu de cerâmica Bonnie Ntshalintshali está localizado dentro do estúdio e homenageia o seu trabalho.

O cenário das cordilheiras de Drakensberg cativou Fee Halsted-Berning. Esta pintora e ceramista nascida no Zimbábue decidiu que a sua mudança para Ardmore Farm em Champagne Valley de Drakensberg era o momento perfeito para levar a sério os seus interesses criativos. Logo, ela estava procurando uma parceira e perguntou a uma funcionária da fazenda, Janet Ntshalintshali, se alguém gostaria de aprender os fundamentos da arte em cerâmica.

A filha da Janet, Bonakele, havia contraído poliomielite quando criança e não queria mais trabalhar na colheita de tomate, pois era um trabalho muito pesado. Janet estava ansiosa em encontrar um trabalho menos pesado para a sua frágil filha e esta era a oportunidade que procurava. Portanto, em 1985, Bonnie começou a trabalhar com Fee.

Surgia uma parceria excepcional. Juntas, elas criaram Ardmore Ceramic Art Studio. A força do estúdio estava na diferença das criadoras. Fee contribuiu com o seu amplo conhecimento de formas de escultura de cerâmica e Bonnie acrescentou novas interpretações exuberantes e rítmicas de narrativas bíblicas e rituais tradicionais africanos.

O fato de Fee ter estudado pintura a ajudou, como artesã de cerâmica, a ir além do espectro das cores normalmente associadas a essa forma de arte. A Ardmore Ceramics logo se tornou conhecida por suas cores exuberantes, nunca vistas antes.

Em 1990, Fee e Bonnie receberam o famoso Prêmio Standard Bank Young Artist Award for Visual Art. Bonnie continuou a ganhar muitos outros prêmios de arte sul-africanos e ter o trabalho representado em muitas coleções de arte internacional e local, antes de morrer em 1999.

O legado de Bonnie ainda vive: atualmente, o Ardmore Ceramic Art Studio emprega 50 pessoas, a maioria mulheres, que residem na região da Cordilheira do Drakensberg, uma região que não tem muitas oportunidades de emprego formal. O Museu de cerâmica Bonnie Ntshalintshali está localizado dentro do estúdio e homenageia o seu trabalho.

 

 

Dicas de viagem e informações de planejamento

Como chegar até aqui

Pegue a N3, saindo de Durban. Siga a R600 até Winterton e, em seguida, se oriente pelas placas até Central Drakensberg. Próximo ao Nest Hotel há uma estrada de cascalho sinalizada que leva ao Ardmore. Consulte o site da galeria para obter um mapa detalhado.

Melhor época para visita

A qualquer momento do ano, apesar de na primavera ser especialmente bonito.

Onde ficar

A área oferece uma grande variedade de acomodações, desde hotéis antigos e albergues para mochileiros até resorts modernos luxuosos e boutique hotéis.

Adjacências

Há vários empreendimentos criativos e recentes pela estrada de Winterton até Champagne Valley. Especialmente, o KwaZulu Weavers onde os visitantes podem observar os locais exibindo com as mãos lindos tapetes.

Como viajar pelo país

Dirigir sem guia é a melhor opção.

Quanto custa

A entrada no estúdio e no museu é gratuita.

O que trazer

Bastante protetor solar, chapéu e sapatos de caminhada confortáveis ou botas de caminhadas.

Melhores compras

Visite o site de Ardmore Ceramics para obter uma galeria on-line e portais de venda.

Com quem falar

Ardmore Ceramic Art Studio
Tel.: +27 (0)33 234-4869