logoleft

Maloti-Drakensberg Transfrontier Project

Uma fábrica de água pitoresca, com muita biodiversidade

O Maloti Drakensberg Transfrontier Project protege as pradarias altas e delicadas e os picos irregulares de maior fábrica de água da África, segundo algumas pessoas. O projeto também é um santuário para aves, mamíferos e flores dos alpes raros.

Os picos imponentes da Cordilheira do Drakensberg, na África do Sul, formam um perfil irregular ao longo da parte oriental do país. Os picos mais altos estão colados às cordilheiras Maloti de Lesotho, prendendo as nuvens cheias de chuva, formadas no litoral subtropical do oceano Índico.

Juntas elas originam a maior fábrica de água da África. O objetivo do Maloti-Drakensberg Transfrontier Project é proteger esta importante região de captação de água. As torres de basalto e os planaltos cobertos de grama formam um funil que leva a água da chuva em direção a vários riachos cristalinos que desembocam nos rios de Tugela e Umzimvubu que correm em direção ao leste, e também no rio-mãe da África do Sul, o Orange, que corre em direção ao oeste.
Vá até o grande anfiteatro de Drakensberg, no lado da África o Sul do Transfrontier Project e você verá o que parece ser um filete do rio Tugela caindo pelo precipício - a segunda cachoeira mais alta do mundo.
As montanhas irregulares de basalto, rodeadas por colinas de arenito, são as últimas evidências de lava expelida pelas fissuras no solo, quando o Gonduana se partiu há 180 milhões de anos. Estes planaltos suaves também abrigam alguns dos pássaros mais raros da África - o grou carunculado, o íbis careca a o abutre-barbudo ou comedor-de-ossos.
A vegetação dos alpes, nas reservas naturais da transfronteira de Drakensberg é muito sensível a perturbações (causadas por pasto ou excesso de pisoteamento). Ela também é um santuário para vários pântanos, lamaçais, escoamentos e turfeiras, partes importantes da 'fábrica de água'.
Uma das melhores épocas para se visitar o Maloti-Drakensberg Transfrontier Project é entre novembro e fevereiro, pois as planícies estão cheias de flores - fynbos proteas raros, gladíolos Africanos cor de laranja, lírios vermelhos e chamativos lírios-tocha (kniphofia), além de algumas orquídeas terrestres.
No lado de Lesotho, você pode ter a sorte de observar a babosa espiral, extremamente rara e endêmica na região.Os picos imponentes da Cordilheira do Drakensberg, na África do Sul, formam um perfil irregular ao longo da parte oriental do país. Os picos mais altos estão colados às cordilheiras Maloti de Lesotho, prendendo as nuvens cheias de chuva, formadas no litoral subtropical do oceano Índico.

Juntas elas originam a maior fábrica de água da África. O objetivo do Maloti-Drakensberg Transfrontier Project é proteger esta importante região de captação de água. As torres de basalto e os planaltos cobertos de grama formam um funil que leva a água da chuva em direção a vários riachos cristalinos que desembocam nos rios de Tugela e Umzimvubu que correm em direção ao leste, e também no rio-mãe da África do Sul, o Orange, que corre em direção ao oeste.

Vá até o grande anfiteatro de Drakensberg, no lado da África o Sul do Transfrontier Project e você verá o que parece ser um filete do rio Tugela caindo pelo precipício - a segunda cachoeira mais alta do mundo.

As montanhas irregulares de basalto, rodeadas por colinas de arenito, são as últimas evidências de lava expelida pelas fissuras no solo, quando o Gonduana se partiu há 180 milhões de anos. Estes planaltos suaves também abrigam alguns dos pássaros mais raros da África - o grou carunculado, o íbis careca a o abutre-barbudo ou comedor-de-ossos.

A vegetação dos alpes, nas reservas naturais da transfronteira de Drakensberg é muito sensível a perturbações (causadas por pasto ou excesso de pisoteamento). Ela também é um santuário para vários pântanos, lamaçais, escoamentos e turfeiras, partes importantes da 'fábrica de água'.

Uma das melhores épocas para se visitar o Maloti-Drakensberg Transfrontier Project é entre novembro e fevereiro, pois as planícies estão cheias de flores - fynbos proteas raros, gladíolos Africanos cor de laranja, lírios vermelhos e chamativos lírios-tocha (kniphofia), além de algumas orquídeas terrestres.

No lado de Lesotho, você pode ter a sorte de observar a babosa espiral, extremamente rara e endêmica na região.

 

 

Dicas de viagem e informações de planejamento

Como chegar até aqui

As cordilheiras do Drakensberg estão a poucas horas de Durban (que tem um aeroporto). Você também pode dirigir de Joanesburgo ou Pretória, atravessando Lesotho e passando pela espetacular Sani Pass. A região é adequada para veículos 4x4, mas há planos de, em breve, asfaltar a estrada para carros de passeio.

Melhor época para visita

Cada estação tem as suas belezas, e em alguns momentos você presenciará as quatro estações em um único dia. Frequentemente, você verá neve no inverno e tempestades de trovão espetaculares no verão. O outono e a primavera são especialmente agradáveis.

Onde ficar

No lado sul-africano, você pode escolher entre acampar ou alugar chalés com cozinha e se hospedar em hotéis ou hospedagens luxuosas. As acomodações em Lesotho são confortáveis, mas normalmente mais rústicas.

Como viajar pelo país

Alugar o seu próprio veículo - de preferência 4X4 - lhe dará mais opções.

Duração da estadia

Uma das grandes vantagens destas cordilheiras é poder fazer longas caminhadas (mas sempre prestando atenção às mudanças climáticas). Para sentir a atmosfera de verdade, fique por 3 noites ou mais.

O que trazer

Os invernos são gelados, então venha preparado. No verão, traga uma capa de chuva leve. Não esqueça o chapéu e o protetor solar, e, é claro, sua câmera.

Com quem falar

Para obter mais informações, entre em contato com:

KZN Wildlife Reservations no telefone +27 (0) 33 845 1000 ou visite o site www.kznwildlife.com

Maloti-Drakensberg Project em Lesotho no telefone +266 (22) 312 662 ou envie um e-mail para cmokuku@maloti.org.ls